Em 1ª pessoa

20:05

    Como esse ano tem sido duro comigo, principalmente esse segundo semestre. Ficou outorgado o quanto eu sou sozinho e sem ninguém. Acumulei uma dívida na faculdade por causa de algumas mensalidades atrasadas e fui bater às portas dos meus familiares. Eles não me deram confiança, minha mãe biológica ainda teve a cara de pau de dizer que está desempregada e não pode me ajudar. Eu nunca me vi numa situação dessa. Meu RG rasgou e isso me impede de fazer um empréstimo.
   Meu relacionamento de 1 ano e 6 meses foi para as cucuias e até hoje eu não sei a razão e para melhorar minhas crises de ansiedade aumentaram e estou me entupindo de remédios.
Se não fosse o meu ex-namorado, talvez eu não conseguiria fazer a minha rematrícula. A minha "mãe" daqui não me ajuda em um centavo e, ainda teve a pachola de dizer que não sabe o porquê de eu fazer uma faculdade.  Sem comentar que ela catou o meu tíquete-alimentação.
   Dívidas, dívidas, dívidas, dívidas... Tudo isso porque há quatro anos atrás, quando comecei minha graduação, precisei fazer um empréstimo e fiz um atrás do outro para me manter na Instituição a qual estudo. Minha família nunca me ajudou com uma agulha.
   O que mais dói é porque eu não sei para onde ir, no que recorrer. Esse é só um pedaço dos meus problemas. As crianças da escola que trabalho, inventaram de se perfurar e eu fui apontado como uma má influência... As professoras efetivas meio que "proibiram" qualquer funcionário que não seja professor de frequentar a SALA DOS PROFESSORES. Sem contar nas pessoas que entram pela janela, não trabalham e jogam serviço nas minhas costas. Detalhe: também sou efetivo.
   Cara, eu tô sem ânimo para continuar e todos esses problemas estão respondendo no meu corpo físico. Tô numa depressão do caralho e tô sozinho nesse barco.

You Might Also Like

0 comentários

Sigam-me!

Postagens populares

Total de visualizações de página