DEAD BOY’S POEM

16:09



Ouvindo Fuck U, do Placebo, algumas coisas me vieram à cabeça. É o fim um imbecil terminar com você por intermédio de uma rede social e ainda dizer: “mas você é um cara legal.” Ou pior: eu ficar martelando em um prego torto, sem futuro. Eu não sei por que ainda insisto nesse tipo de pessoa. Fico procurando em mim o meu defeito. E mais uma vez ratifico aquilo que sei – mas ignoro – não sou bom o suficiente.

Virou uma bola de neve!  Terminaram comigo, meu rato foge, minhas notas nas provas foram  péssimas, o alimentador do meu computador quebrou, os meus fones foram para a puta que pariu. E meu estresse cotidiano que gera impaciência.  Sem falar naquelas pessoas chatas que te amam, enquanto você está servindo. É muito para um pagão só.

Contudo, eu decidi mudar. Vou procurar pensar em mim, no meu intelecto. Vou andar por outros caminhos, abandonar vícios antigos, fazer novos amigos, lavar louça, fazer um bolo, ir a lugares que não costumo ir. Esquecer um pouco essa dependência do outro, me podar de sexo, evitar companhias afetivas, toques – Já que eu sei que não vai dar certo e que só vai acabar em foda.

É horrível se decepcionar pela milésima vez e antigos fantasmas baterem à sua porta. É horrível... Parece que sentimentos velhos nunca foram sanados, que estavam dormindo. E acordaram, estão chorando em meio à madrugada.

 Que a Mãe encha a minha vida de amor, que eu possa perdoar e olhar no olho sem sentir dor ou ódio. Que eu possa apenas olhar. Sou um bom menino e vou trabalhar isso em mim, sublimar esses sentimentos ruins que nunca vão embora. Que só fazem dormir e acordar... Acordar e dormir... Entretanto, irão morrer. Já estão morrendo.  É preciso amadurecer, por mais que isso faça doer. Hoje, acordei melhor que ontem. E amanhã, acordarei melhor que hoje.  Mais tarde vou a um barzinho de gente besta, só para fazer diferente. 

You Might Also Like

0 comentários

Sigam-me!

Postagens populares

Total de visualizações de página