Mãe, me guarde na palma de sua mão...

13:15








Wicca: Bruxaria Moderna




A Bruxaria Moderna, apesar de ser chamada de moderna, não é tão recente assim. É baseada na mitologia do povo celta, que viveu em anos anteriores a Cristo na região que hoje pertence ao Reino Unido. A essa tradição são incorporados elementos da natureza de muitas civilizações arcaicas, sendo matrifocal: valoriza a figura da mulher, uma Deusa soberana de muitas faces como a Lua. O resultado dessa composição reflete-se no chamado Movimento Wicca de Bruxaria Moderna.
Infelizmente, a Bruxaria nem sempre esteve ligado ao Bem. O Cristianismo luta contra o Paganismo desde a Idade Média. E a homogenia do catolicismo comandou a Inquisição que aniquilou milhares de pessoas consideradas heréges. Na maioria das vezes, gente que nem sentia, realizava ou presenciava fenômenos sobrenaturais ou mágicos. Séculos depois muitos que acabaram na fogueira, grande parte mulheres, foram canonizados santos pela hipocrisia da própria Igreja.
Na metade do século XX, a ultima lei contra a Bruxaria é desfeita na Inglaterra. A partir daí, a religião pagã voltou a ser permitida e algum tempo depois surge a Wicca que nasceu depois dos anos 90 e é tida para muitos como uma filosofia de vida, para a maioria dos bruxos , não sendo apenas uma simples religião. Raymond Buckland, uma das maiores autoridades em Bruxaria, a definiu de certa forma assim:


- WITCHCRAFT (BRUXARIA): Termo que vem do anglo-saxão antigo wicce-ccaeft e significa “a arte dos sábios” (por esse motivo alguns seguidores wiccanos a denominam como “A Arte” ou “A Arte dos Sábios)”.


Um bruxo adora um Deus de chifres, silvestre e uma Deusa – basicamente a Mãe Terra, com várias faces e características. Os seguidores dessa vertente pagã são praticantes de magia. Contudo, não é preciso ser adepto de Bruxaria para fazer magia. A diferença entre uma e outra é simples: A Bruxaria é uma religião e a magia é uma prática que não necessita de uma religião fundamentada e não envolve, em si mesma, conexão com nenhuma divindade. “A magia é energia, simplesmente, não é boa e nem má. Nossas intenções é que definem o sentido dessa energia.”
Mas afinal, quem são as bruxas da era moderna? São pessoas comuns que lutam pelo seu pão, riem, choram. Algumas usam o negro, outras muitas cores. Podem fumar ou ser anti o tabaco. Há quem use rimas, outros entoam cânticos. Não possuem uma identidade definida e não se deslocam de um lugar a outro em cima de uma vassoura. Misticismo, feitiçaria, misto de mitologia, crença e religiosidade. Celebrações, invocações. Culto e amor à divindade. Bruxaria do bem ou do mal? Ainda existe aquele estigma que feiticeira é uma mulher má, feia, corcunda, má, de verruga no nariz e que só existe para fazer maldade. Concepção erronia herdada do Cristianismo. Rituais mágicos, magia e adoração. O caldeirão resiste ao tempo e simboliza o útero feminino. No altar, a vela principal simboliza a Deusa, a outra o Deus consorte dela. O Livro das Sombras é como um diário, em que são compartilhados feitiços, dogmas e conceitos.


Por ser uma religião-filosofia de amor à Natureza, livre de leis ou regras e voltada para a simplicidade tem atraído muitos seguidores. Estima-se que a Bruxaria Moderna tenha mais de 120000 adeptos no mundo.


Ps.: Texto feito por mim há muito tempo, lembrei dele esses dias folheando meu antigo Livro das Sombras.

You Might Also Like

3 comentários

Sigam-me!

Postagens populares

Total de visualizações de página